domingo, 5 de fevereiro de 2012

Diante de Si - II

O barulho da chuva em seu teto de zinco fez com que ele perdesse o sono... Foi até a cozinha, pegou seu copo e serviu uma dose do seu whisky preferido...
Sabia que este seria o seu companheiro até o sono aparecer...
Dirigiu-se ao velho aparelho de som, aqueles que ainda utilizam o “toca-discos”... Pegou um antigo LP da sua coleção, empoeirado e escondido. Botou a tocar. Ao som de “STAIRWAY TO HEAVEN”, do Led Zeppelin, se pôs diante da sua velha máquina de escrever e foi despejando as suas divagações...
Desta vez ele não iria escrever sobre questionamentos da vida ou tentar encontrar respostas para suas inúmeras perguntas.
Simplesmente sentou-se e deixou que as palavras saíssem da sua mente e invadissem o papel:
“Vida” – já pensei várias vezes na vida que estou levando. Hoje não vou reclamar de você, muito pelo contrário. Quero agradecer. Sim, agradecer. A vida que estou levando é simplesmente o máximo, independente das dificuldades que você me impõe diariamente, me sinto feliz. Você tenta tornar meu dia a dia, que por si só já é agitado, em algo ainda mais complicado, cheio de obstáculos. Com força, coragem e discernimento, tenho passado por cada um destes obstáculos, tendo a certeza, é claro, de que muitos outros você ainda irá colocar no meu caminho. Mas me sinto preparado. E se não estiver totalmente preparado, ei de encontrar alguma maneira de não me deixar abater e sim crescer com os desafios que você me lançar...
“Família” – incrível como você tem o dom de me desestruturar. Sim, você tem o dom. Quando penso que está tudo bem contigo, algo inusitado acontece e o caos se instala. Posso te dizer que já fui bem mais apegado e preocupado contigo. Mas isso mudou. E vem mudando a cada dia. Venho aprendendo com os membros da tua família que não dá para agradar a todos. Aliás, quem sou eu para agradar a todos, não é mesmo? Lamento por alguns acontecimentos que possam ter te desagradado, mas você queria o que? Que eu ouvisse as barbaridades que diziam contra mim e ficasse calado? Ah, dá um tempo! Ei, família, aquele gurizinho que você conheceu não é mais o mesmo. Cresceu. Mudou. Caminha com as suas próprias pernas e age de acordo com seus próprios pensamentos. Sim, já não sou mais influenciável como você queria e isso te deixa irritada, né? Triste te ver assim, tão dividida e com tantas formas diferentes e divergentes de agir, de ser, enfim... Mas, tudo bem... Você é igual em qualquer outro canto do planeta: cheia de problemas, de desencontros, enfim. Mas ainda acredito nos bons momentos que passamos juntos... Poucos, mas sinceros...
“Amigos” – sempre escrevo sobre vocês, né? Sim, vocês são recorrentes em meus textos, no meu dia a dia, na minha vida...
E como não ser? Vocês são e sempre serão parte importante na minha vida. Às vezes me sinto meio deslocado em relação a vocês, mas entendo que a vida segue seu rumo e que às vezes, na maioria das vezes, não conseguimos estar juntos, por mais que queiramos estar...
Uma pausa para repor o whisky no copo...
“Futuro” – ah, sei lá o que você tem reservado pra mim. Sério. Não vivo preocupado com isso. Você sabe que eu vivo no presente, não é mesmo? Talvez a única coisa que de fato me assuste é pensar que, quando eu der de cara com você eu me encontre só. Acho que este é meu único medo. Do contrário, o teu amigo, o Presente, este sim tem me ajudado e me dado vários presentes – trocadilho infame, eu sei.
“Solidão” – bem que você tenta me deixar pra baixo... Mas hoje não há chance. Tenho passado alguns momentos contigo, mas só de vez em quando, como hoje por exemplo. Mas nem adianta se aproximar muito de mim, porque hoje eu não estou sozinho, sabia?
Poutz, o som acabou.
Outro LP: "WIND OF CHANGE" – Scorpions
Sinceramente? Hoje eu vou dormir bem mais tranquilo do que das outras vezes que tive que te encarar. Ou melhor, me encarar...
De certo modo, estou feliz. Feliz com minha vida, com meu trabalho, com meus projetos e com meus sonhos...
Neste momento, não há nada que possa me atrapalhar... As negatividades de algumas pessoas do meu convívio são inferiores ao meu grau de felicidade.
Talvez por eu estar em boa companhia...
Talvez por sempre ter a minha velha máquina por perto...
Talvez por ter como companhia o meu bom e velho whisky...
Sigo deixando a vida rolar e seguir o seu rumo!

* crédito da imagem: http://pt.dreamstime.com/foto-de-stock-olho-no-espelho-image2477180

2 comentários:

Rafael Kenai disse...

Como diria um dos santos mais populares do mundo: Keep Walking...
Whiskey, o cachorro engarrafado. Mas na falta dele, ou caso ele não queira abanar o rabinho para você, call me baby. ;)

Otimo, otimo e otimo.

Rafael Kenai disse...

ps.: LP do Led Zap é phoda =D