sábado, 9 de abril de 2011

Variável de um mesmo tema


Acho que já postei algo parecido...Mas, acredito nunca ser demais....
É que me deixa muito indignado ligar a tv e ver notícias e mais notícias relacionadas ao preconceito, por exemplo. Tudo bem que o assunto do momento seja a chacina acontecida no Rio - e nem poderia ser diferente, afinal, estamos falando de uma monstruosidade sem tamanho. Aliás, com esta brutalidade, fica a pergunta: se as crianças não tem segurança dentro da escola, onde mais ela vai ter? Será que o país vai saber lidar com este tipo de terrorismo, tal qual acontece nos EUA? Tá na hora de começarem a pensar nisso...
Mas, eu estava escrevendo sobre preconceito, não?
Pois é, segundo o wikipédia, Preconceito (prefixo pré- e conceito) é um "juízo" preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude "discriminatória" perante pessoas, lugares ou tradições considerados diferentes ou "estranhos". Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguém, ou de um grupo social, ao que lhe é diferente. As formas mais comuns de preconceito são: social, "racial" e "sexual".
De modo geral, o ponto de partida do preconceito é uma generalização superficial, chamada "estereótipo". Exemplos: "todos os alemães são prepotentes", "os americanos formaram grandes grupos arrogantes", "todos os ingleses são frios". Observar características comuns a grupos são consideradas preconceituosas quando entrarem para o campo da agressividade ou da discriminação, caso contrário reparar em características sociais, culturais ou mesmo de ordem física por si só não representam preconceito, elas podem estar denotando apenas costumes, modos de determinados grupos ou mesmo a aparência de povos de determinadas regiões, pura e simplesmente como forma ilustrativa ou educativa.
Observa-se então que, pela superficialidade ou pela estereotipia, o preconceito é um erro. Entretanto, trata-se de um erro que faz parte do domínio da crença, não do conhecimento, ou seja ele tem uma base irracional e por isso escapa a qualquer questionamento fundamentado num argumento ou raciocínio.
Os sentimentos negativos em relação a um grupo fundamentam a questão afetiva do preconceito, e as ações, o fator comportamental. Segundo Max Weber (1864-1920), o indivíduo é responsável pelas ações que toma. Uma atitude hostil, negativa ou agressiva em relação a um determinado grupo, pode ser classificada como preconceito.Enfim, não ter preconceito é possuir a Lei de Mendel.
Mas o que leva o ser humano a fazer tantos pré-julgamentos sobre os outros? Sobre algo que de repente desconhecem?
E o preconceito parece nao ter fim: é contra afro-descendentes, contra homssexuais, contra gordos, contra pobres, etc...
Sinceramente, não sei o que se passa na cabeça das pessoas preconceituosas... Mais do que não saber o que se passa na cabeça destas pessoas é tentar achar alguma explicação para as suas atitudes... Desde pequenas piadas (que tem um certo limite), até gestos de covardia, atos brutais, que não precisam ser descritos aqui novamente...
Outra coisa que não compreendo: quando tais atitudes e agressões - físicas ou verbais - vem de um desconhecido, ok, é intolerável mas é "compreensível", afinal, o preconceituoso nao te conhece, não sabe da tua vida, etc... Mas, e quando tudo isso vem de pessoas próximas, como família, amigos, etc? Como lidar com isso?
Vivemos em 2011 e não dá pra explicar o porque deste tipo de sentimento...
O que estas pessoas deveriam aprender é lidar com as diferenças, sejam elas quais forem... Ninguém é igual a ninguém, nunca vamos agradar á todos, mas a questão é exatamente esta: saber respeitar as diferenças e conviver com elas. E pra isso, só havendo muito respeito, no mínimo...
Antes de fazer um pré-julgamento sobre alguma coisa, procure se informar, converse, tente entender e depois, tire suas conclusões, mas não julgue e não seja mais um preconceituoso sem aparente motivo...
É como dizia Albert Einstein sobre o preconceito: "Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito."

É hora de refletir e repensar sobre certo atos...

Um comentário:

Rafael Kenai disse...

Grande texto, pra variar. Realmente ter preconceito é algo terrível, mas acho dificil que exista alguém capaz de ser livre de qualquer preconceito, infelizmente.

Como já disse alguém, alguma vez: quando o homem aprender a respeitar todos os seres.. só neste momento não haverão gerras, preconceitos e etc.. E isso envolve tudo, humanos, raças, opções, animais e etc..

Bueno.. parabéns novamente pelo texto amiguinho..